terça-feira, 26 de agosto de 2008

[desconheço o sentido das palavras]

desconheço o sentido das palavras
que em torno do silêncio navegam
pressinto a poesia que as demanda
nas cristalinas veias da memória
e sinto que do mar imenso um verso
como náufrago encalha em minhas mãos
e num parto de som e cor pulula
no tegumento ardente de um papiro
que no tempo em silêncio repousa

2 comentários:

Luis F disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luis F disse...

Camarada Xavier

Mais um belo momento que aqui nos deixas.

Para mim é sempre uma delicia descobrir neste teu espaço, estas pérolas

Com amizade
Luis