sexta-feira, 22 de agosto de 2008

[dentro do voo do milhafre]

dentro do voo do milhafre
a poesia nasce e escorre
no tegumento do horizonte

4 comentários:

Luis F disse...

Mais um belo e unico momento

Um abraço
Luis

RUBENS GUILHERME PESENTI disse...

tudo certo, Xavier?
ando por aqui viajando nas suas palavras.
abraço.
rubens

Xavier Zarco disse...

Camarada Luís,
Grato pela visita, leitura e comentário. Este é mesmo um poema sem adiposidades, como diz o Félix.
Um abraço
Xavier Zarco

Xavier Zarco disse...

Camarada Rubens,
Obrigado por mais esta anotação.
Quanto ao resto, bom!, como canta o Sérgio Godinho, cá andamos com a cabeça entre as orelhas... o que significa, tudo bem!
Um abraço
Xavier Zarco