segunda-feira, 18 de agosto de 2008

[deixo]

deixo
pousar
a memória
por sobre
o pó
dos tempos

cada instante
tem o encanto
da vida

o pulsar
mágico
do sangue

veias
absortas
à navegação
do sonho

1 comentário:

Luis F disse...

Caro Camarada

É sempre um grande orgulho ler momentos como aqueles que nos deixas neste teu mundo.

Bem hajas

Um abraço amigo
Luis