quarta-feira, 13 de agosto de 2008

[De manso, sopra o vento. Ruma a sul]

De manso, sopra o vento. Ruma a sul
com as aves. Vai rente às arestas
de um sonho em breves asas esboçado.

1 comentário:

Luis F disse...

E nas asas do sonho, flutuam os poemas que o poeta liberta...

Um abraço
Luis